Evite faltas de pagamento por usurpação de identidade



Recomendamos precauções extremas nos seguintes casos, para garantir que o seu comprador não é um terceiro dizendo ser uma empresa reconhecida.


CONTACTOS SUSPEITOS

É contactado em nome de uma empresa reconhecida (mas com a qual nunca foram mantidas relações comerciais), mostrando dados reais (informação fiscal, logos...) mas com números móveis em vez de fixos e emails não corporativos (Gmail, Hotmail, Yahoo...).

Nossas recomendações:

Pesquise pessoalmente a confirmação desses dados através da Internet ou de contactos comerciais no país de destino. Uma simples chamada internacional ao departamento de vendas pode acabar com uma fraude desde o inicio.

Atenção:

Em casos mais sofisticados pode haver um caso de “phishing”, com webs falsas embora semelhantes à original, que validem os dados fornecidos pelo contacto. Deve-se prestar sempre atenção ao URL completo da web.



PEDIDOS APRESSADOS

Uma encomenda é feita por uma determinada entidade (às vezes depois de ter feito antes uma pequena encomenda para criar confiança), “apressando” os prazos e sem solicitar amostras ou negociar preços. Interessa que a operação seja rápida, sem dar tempo a verificações.

Nossas recomendações:

Desconfie da pressa e dos novos clientes que aceitam tudo. Pense se é normal que, no primeiro contacto com um novo fornecedor, as coisas sejam tão rápidas e fluidas.



DÚVIDAS NOS PAGAMENTOS

Se pedem condições de pagamento dilatadas no tempo, incluido oferecendo-se para pagar um adiantamento ou assegurando o pagamento com meios bancários (às vezes, pré-datados) sem fundos que os sustentem. O tempo pode servir para apagar o seu rasto.

Nossas recomendações:

Um adiantamento não garante o resto do pagamento. Aceite apenas meios de pagamento viáveis e que comprometam a sociedade compradora. Solicite referências de solvência bancária ou comercial através de contactos ou do seu próprio banco.

Atenção:

Desconfie das referências que ofereça diretamente o comprador: balanços, certificados da Câmara do Comércio, cópias de recibos de transferência bancaria... São documentos facilmente falsificáveis.



ATRASO NOS PAGAMENTOS

Se as semanas passam, o pagamento não chega e o comprador não atende, é possível que já seja tarde. A companhia de seguros de crédito procederá a examinar o caso e entrar em contacto com o aparente comprador, mas este logo argumentará não conhecer a empresa vendedora.

Nossas recomendações:

Não deixe passar prazos “de cortesia”. Ao primeiro sinal, dê o alarme e denuncie a fraude sofrida . Certamente não será a única e quanto maior for o volume denunciado, mais serão as provas e as possibilidades de deter os culpados.



TRANSPORTE IMPOSTO

Mostra um interesse particular em assumir a responsabilidade do transporte (às vezes com a desculpa de assumir os encargos), para poder modificar a rota da transportadora. Também, solicitam a entrega numa “sede secundária”, num armazém público ou numa direção muito parecida à oficial.

Nossas recomendações:

Desconfie da direção da descarga no caso de um consignatário ou de um lugar não relacionado com o aparente comprador. Exija à transportadora que não aceite nenhuma alteração da rota em qualquer circunstância, responsabilizando-o se isso acontecer.

Ver notícias
Subir